31.12.07

O Senhor Ferreira Queimado

Talvez já com os pés no novo século, preparava-se uma nova e aparentemente decisiva Assembleia Geral do Benfica. Nela, Vale e Azevedo iria propor a possibilidade de alienar a maioria do capital da SAD benfiquista.
Até lá, a ascensão dessa personagem tão terrífica, como burlesca, era encarada, por quem ainda mantinha uma réstia de bom senso, como um visitante indesejado para jantar, que, finda a refeição, sairia para sempre da nossa vista. Caso a sua proposta vingasse, ele, mais do que passar a viver na nossa casa, passaria a assumi-la como sua.

Nas vésperas desse acontecimento, chegavam-nos notícias de que rufias faziam fila no escritório de Vale e Azevedo, para serem contratados para um determinado papel na Assembleia.
“Vis atoardas de inimigos do Benfica” (como era comum da linguagem utilizada nesses tristes tempos) ou não, o que é certo é que no Pavilhão da Luz se assistiu às novas invasões bárbaras, com personagens com as mesmas barbas, mas com armaduras trocadas por fatos de treino da feira.

E urravam, e insultavam e ameaçavam quem simplesmente parecesse que não apoiava os ideais do seu Messias.
Um dos Vândalos dirigiu-se a um idoso, pequeno, atarracado, que tinha tentado, sem êxito, dirigir-se à enraivecida plateia. Entre a chuva de perdigotos, desfiou insultos e ameaças a um homem que teria pelo menos o triplo da sua idade.
O senhor, amparado num homem bastante mais novo que o tentava arrastar para fora daquele cenário dantesco, encheu o peito encolhido, cresceu 20 centímetros, acendeu os olhos e perguntou ao rufia: “Você é mais benfiquista que eu?” Perante o linguajar estéril, mas com convicção em perda, do outro, insistiu: “Você é mais benfiquista que eu?” O silêncio furioso deu-lhe espaço para o remate final: “Então cale-se!”
E o senhor saiu, agora parecendo que era ele que amparava o homem mais novo.

A sua atitude mostrou que o benfiquismo é bastante mais do que colocar cachecóis ao pescoço e entoar cânticos importados. Benfiquismo é um conjunto de valores centenários que passam pela honra, integridade e liberdade, e cuja defesa não dispensa coragem moral e, por vezes, física.

Aquele Senhor que relembrou (e a alguns ensinou) o que é o Benfiquismo era o Senhor Ferreira Queimado.
Que descanse em paz.

1 comentário:

João disse...

grande post.
Grande nome para um blogue.
Vi li gostei e vou voltar sempre.